I

CRUZEIROS HISTÓRICOS

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

Os dois cruzeiros (o de cima e o debaixo como são conhecidos) e erguidos no topo da Serra do Cruzeiro, são tão antigos que não se encontram neles qualquer inscrição que indique  quando ali foram  fincados, por quem e o motivo. Apenas por testemunhos dos moradores mais velhos, sabe-se que nos anos de 1880 eles já existiam.

Já o grande cruzeiro em frente a capela em meio as terras em que estão as ruinas do Palácio do Padre Severo no povoado da Tapera, pode-se perceber, embora não haja também nenhuma inscrição, que foi erguido pelo famoso pároco itiubense também durante os anos de 1800 quando retornou de Portugal.

E o pesado  cruzeiro erguido em frente a Capela de São Gonçalo do Amarante, no cume da Serra de Itiúba, sabe-se que foi erguido pelos jesuítas juntamente com a construção da velha Capela também durante os anos de 1800.

Outra curiosidade sobre esses símbolos religiosos é que são feito de madeira, e apesar de expostos  ás severas intempéries do tempo por  duzentos ou mais anos, ainda se mantêm em pé, sem nenhuma manutenção de qualquer tipo, numa prova de que foram feitos de madeira de lei da região. 

 

 



 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com