I

O F.N.M. DO RAIMUNDÃO

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

     

Quando o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), iniciou os trabalhos de construção do açude Camandaroba em 1950, seu primeiro veículo de auxilio á grande obra foi um caminhão da marca FNM (montado pela Fábrica Nacional de Motores), que mais parecia um brutamontes de ferro, fumacento, pesado, lento e feio, e era guiado pelo Raimundo Medeiros (Raimundão), e foi muito utilizado para o transporte pesado de máquinas e tratores, e ficou conhecido como o Fenemê do Raimundão. Só ele sabia dirigir o monstrengo.

E, talvez, achando pouco as esquizitices do barulhento caminhão, o nosso amigo Raimundão adaptou uma corneta metálica à saída de ar dos freios e, assim, quando brecava, produzia um estridente e ensurdecedor som que era ouvido de longe. Enquanto rodou somente em Camandaroba e em Itiúba, ele e abusou de sua "invenção" sem problema algum. Porém, em sua primeira viagem a Salvador, quando parou no Posto da Polícia Rodoviária Federal em Simões Filho, os guardas não gostaram nada do que ouviram e apreenderam caminhão, carga e motorista, e o problema só foi resolvido dias depois quando um funcionário do DNOCS, de Salvador, se deslocou até o Posto Rodoviário e combinou com os guardas a retirada da invenção do Raimundão. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com