I

ACABOU-SE O QUE ERA DOCE

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

     

 

 

Até a década de 1950, o município de Itiúba era um grande produtor de mel de abelhas, principalmente das espécies “Munduri” e “Mandassaia”, e até aquela época ainda não havia a proliferação das ferozes e predadoras abelhas italianas, que somente chegaram à região no inicio dos anos de 1960 dizimando as outras espécies, principalmente as que produziam o melhor mel.

E para complicar mais a situação dos apicultores itiubenses, ainda surgiram os falsificadores que misturavam o mel com garapa de rapadura para render mais, e aí o comércio da apicultura da cidade perdeu toda sua credibilidade e consequente competividade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com