I

A RÁDIO CULTURAL E A HORA DO ÂNGELUS

Fernando Pinto de Carvalho

 

 

  

 
A hora do Ângelus ou  hora da Ave-Maria,  às  18h, na tradição católica, relembra,  por  preces e orações, o momento da Anunciação - feita pelo anjo Gabriel a Maria - da concepção de Jesus Cristo, acreditada como livre do pecado original. É uma hora celebrada diariamente através de preces e orações pelos cristãos.  A Rádio Cultural  de Itiúba, todos os dias,  naquele horário,  apresentava crônicas, quase sempre redigidas pelo  Sr. Antônio Rodrigues  ou pelo Sr. Sandoval Manciola. A leitura das crônicas tinha  como música de fundo uma Ave-Maria orquestrada ou interpretada por cantores famosos  brasileiros ou estrangeiros. Naquele momento  especial, quando terminava o dia e começava a noite, a Rádio Cultural  procurava  levar a populaçao a pensar nos mistérios  da existência e a fazer uma  reflexão sobre a vida e seus valores. No mesmo horário  ouvia-se o som das 6  badaladas do sino da Igreja Matriz e como o prédio da Rádio ficava próximo da igreja o microfone captava o som que também servia de fundo musical para a leitura das crônicas,  tornando  aquele momento ainda mais especial.  Durava apenas 5 minutos mas era  o bastante para deixar todos – inclusive o locutor (eu era  o que mais apresentava  o programa) – mais leves, confiantes e esperançosos. 

A Ave-Maria é um costume português que foi adotado no Brasil e representava o fim de um dia de trabalho numa época distante, quando quase ninguém tinha relógio e os sinos das igrejas anunciavam as horas para o povo. O final da jornada concidia com as 18h e nessa hora, após as 6 badaladas dos sinos os trabalhadores se reuniam e rezavam a Ave-Maria  para agradecer  por mais um dia de trabalho e de vida.





 

 

 

 

                                                                                                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com