I

O PAPAI GARBOSO

Carlos Dias Lima

 

 

  
 

Na nossa querida Itiúba houve um caso, conhecido dos antigos, ou seja: os antigos que hoje somos nós mesmos, os que têm a nossa idade, pois, o fato aconteceu nos idos da década de 50. Havia naqueles dias um cidadão conhecido pelo que morava em uma casinha que havia próximo a casa do Sr. Ademir Simões. Ele, que já era de idade muito avançada, pois, naquele tempo 50 anos já era considerado velho ele tinha seu setenta. Ficou viúvo e casou-se com uma jovem de trinta. A jovem esposa apareceu grávida. Ai, as, mas línguas e os maus pensantes e comentaristas de plantão entraram em ação. Uns diziam será que é mesmo dele? Outros iam mais fundo e diziam coitado dele! O tempo passou e a criança nasceu. Detalhes: (a) Ele era de cor branca e tinha orelhas grandes, do tipo chamado de “Orelha de abano”, cabeça grande, nariz afilado e pontiagudo. Homem sério e honrado, como a maioria dos contemporâneos. (b). Nasceu a criança, menino, de cor branca, cabeção, nariz afilado e “orelhas de abano”. Ai, o garboso papai , exibia a sua cria, que era uma fotocópia dele mesmo e pois fim aos maus comentários maldosos. (Note-se, que não havia o Viagra, Os afrodisíacos eram naturais, boa alimentação, não existia estresse e a mulher era quarenta anos, mais nova do que ele).

 

 

 

                                                                                                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com