I

NOMES E COGNOMES

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

  
 

Em Itiúba, até a década de 1950, era muito comum aplicar-se aos nomes de pessoas conhecidas, uma referência qualquer para diferenciá-lo de um homonimo como Antônio do Correio, Antônio berro grosso, Carlinhos do Dr. Nogueira, Carlinhos do Carlos Pires, Carlinhos do Paulino Matos, Joãozinho do Béu, Joãozinho do Senhor, Joãozinho alfaiate, Pedrinho cabelereiro, Pedrinho Pernambucano, Pedrinho capitão, Mundinho surdo, Mundinho do Quinquin , Zé do quebra-queixo, Zé da moqueca, Zé cabelereiro, Zé do Oscarzinho, Luís do Casé, Luis da jovem,  Bertinho do Paulinão, Bertinho do João do Rio, Bertinho do “Jovi”, Dedé soldado, Dedé da Damiana, Toinho do Odilon, Toinho do Valadares, Töinho do Béu, Zuca do Laurindo,  Zuca fumeiro, Souza do Pompilio,  Souza do Pedrinho cabelereiro,     Vadinho do Nenen, Vadinho do Deocleciano,  Odilon do Santana, Odilon da Padaria, Odilon do Aurino,  Nenen Marceneiro, Nenen do Aurélio, João da Luiza,  João do Bombo, João do Alto, Dandu confusão, Dandu,  do Nenen, Antoninho do Soares,  Antoninho do Antônio Rodrigues, Antônio da Cicinha, Antônio da Dina, Piroca do Lino, Piroca sapateiro, Pompílio delegado, Pompílio sacristão, Vavá do Ademir, Vavá da Rosália, Lulu boca, Lulu do Manoel Pinto, Pedro grosso, Pedro da cajá, Clovis do Josias, Clovis do Hamilton, Adelino do Ló, Adelino do alto e muitos outros.

 

 

 

                                                                                                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com