I

O CARNEIRO DO CARLINHOS III

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

  
 

Com o título acima e quando este Site foi criado,  eu contei  a história de um garoto que inovou em Itiúba percorrendo as ruas da cidade montando um carneiro branco no final da década de 1950.

 Estava me referindo ao amigo de infância e colega da velha Escola Góes Calmon,  Carlos Alberto Dias Lima, ou mais precisamente, Carlinhos do Dr. Nogueira, do qual havia perdido contato desde que o mesmo se mudara para Salvador no final da década de 1950 e eu para Feira de Santana na década de 1970.

 Passados todos esses anos, eis que, o  então  hoje cidadão com seus 76 anos  (somos da mesma idade), descobre este Site “Itiúba do meu tempo”, e numa agradável surpresa restabelece o contato com seus velhos amigos de infância, e agora ele próprio conta de maneira emocionante como o “Bogarim” - esse era o nome de seu carneiro de montaria - surgiu em sua vida de criança feliz na inesquecível Itiúba.

 E como eu sou testemunha ocular dessa história como costumam dizer os cronistas de plantão, seu relato bonito e comovente vem trazer mais recordações de nossa infância alegre e saudável vivida em uma pequenina cidade perdida nos sertões da Bahia em uma época em que a energia elétrica era fornecida precariamente por um velho motor americano  caterpillar da Prefeitura e cuidado pelo mecânico Antônio Mota e seu fiel escudeiro João Três Quinas, e funcionava somente á noite das 18,00 às 22 horas. Crianças tinham que voltar para casa antes disso, ou teriam que enfrentar a escuridão e assombrações.

 A água potável só era conseguida em distantes cacimbas, e carregada em barris de aduelas em lombo de burros e jegues, ou transportada em latas na cabeça, conseguida de favor dos tanques de aço dos trens que passavam pelo centro da cidade. Também não havia na localidade sinal de televisão nem internet e muito menos telefone, e a principal diversão era o velho Cine Itiúba do Bertinho e os animados bailes da Sociedade Dois de Julho. Ainda assim, todo mundo era feliz e ninguém reclamava de nada.

 

 

Nota do site: sobre o mesmo assunto leia também: a) - O Carneiro do Carlinhos e b) - O Carneiro do Carlinhos 2

 

 

                                                                                                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com