I

IVAN LEMOS, O QUE VIAJOU

Max Brandão Cirne

 


 

 

                                                    

Tenho me afastado das pesquisas e leituras do SITE ITIÚBA DO MEU TEMPO. Obviamente motivado pelo câncer que está a me consumir dia a dia. Hoje, depois de algum tempo, retornei a ele e para dissabor meu,  lá estava escrito que o Ivan partira dessa terra.

Tenho dito que existe um terrível paradoxo na vida que é a de viver muito e, a mesmo tempo, ter de ver e assistir amigos e conhecidos nos anteciparem na partido.

Todos sabem que fomos colegas na mesma escola e que sua mãe a querida professora Lígia Mutti foi minha querida, dileta e inesquecível professora nas minhas primeiras letras tendo concluído o 5º ano primário sob sua regência e batuta.

Como o malandrão do Valmir Simões que em mais de cinquenta anos nos vimos apenas uma vez, num ônibus de Jequié, agora, fico entristecido em saber da partida antecipada e sem acerto do querido Ivan.

Que o Senhor abrace sua família e amigos, nos conforte e nos faça acreditar do quanto a vida nos proporciona valores enriquecedores da nossa existência.

Ave Ivan e que a eternidade lhe seja apanágio.

                                                              

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com