I

JUSTA EXPOSIÇÃO DA ONG SERRA DE ITIÚBA

Max Brandão Cirne


 

 

                                                    

                                       

 

 



Pelas mãos do seu fundador ou um dos seus fundadores, d a ONG SERRA DA ITIÚBA acaba de enviar-me, via E: mail, convite dando-me conta de fulgurante evento a ser realizado nas dependências do Clube dois de Julho em Itiúba, dando conta das nossas raízes e emoções, dos acontecimentos pretéritos, envolvendo muita história, como, e, principalmente as que envolveram o Cine Itiúba da minha infância distante e,,  que pertenceu, no passado, a esse grande benemérito e honrado conterrâneo Bertinho que me enche de vaidade e me deixa, mais uma vez,  profundamente enternecido com seus rasgos de bondade e de civilidade ao lembrar-me sempre, enviando-me DVDs e CDs e, convidando-me para todos ou quase todos os eventos sob sua responsabilidade.

Os Irmãos Carvalho - responsáveis pela -ONG SERRA DA ITIÚBA- usaram e permitiram, pela criação, perpetuar e manter acesa a recordação de Itiúba com seus eventos que, muitos deles embora efêmeros, permaneceram no tempo, atravessando o espaço e se perpetuando, deixando a efemeridade para o passado, dando vida e resgatando com alento, amor e carinho tantas e tão belas coisas.

Não é os Irmãos Carvalho que estão de parabéns. Não; eles são, na verdade, instrumentos perpetuadores do belo, daquela página imortalizada nos filmes, nas músicas e nas imagens perpetuadas e captadas pelas lentes e pela sobriedade, além da delicadeza de olhares que capturam preciosidades que o tempo apaga das mentes, mas não apaga do papel nem do registro histórico, mas do povo de Itiúba que terá a oportunidade de se rever e retroagir à concavidade dos espelhos da alma, a beleza e os retratos de uma época que não volta jamais.

Tudo quanto eu disser dos Irmãos Carvalho na passa de mero acréscimo, sem qualquer favo, mas meritoriamente, ao que outros com esmero, delicadeza e justiça se lhes atribuiu, sendo eu, na verdade, um profundo suspeito, não apenas por ter conhecido desde as nossas infâncias que já lá se vão distanciando, mas alicerçadas no tempo com as afinidades das coisas típicas desses incorrigíveis tabaréus, bairristas e insubordinados viciados em coisas “itiubeiras” ou “itiubanas” como gosto de pensar e brincar, ajustando os adjetivos pátrios e brincando com eles, tudo para evidenciar e enaltecer a bela Itiúba terra dos comedores de bode e de outros bichos ainda que vivos e estrebuchantes.

 Itiúba não mais se ressentirá de amostras desse tipo. Agora, pela visão daqueles que viveram e ali nasceram, Itiúba tem  registrada página merecidamente e notadamente acolhida pelos Irmão Carvalhos, mas que me deixam, mais uma vez, marejados o olhar  rasos d’água , olhos já cansados e perseguidos por infame doença, impedindo este tabaréu sertanejo de ai estar para a exposição que irá, por certo, abrilhantar e engrandecer ainda mais Itiúba.

Toda uma geração que viveu em Itiúba, não pode esquecer-se do Cine Itiúba sabe ainda hoje quanto é difícil entrar num cinema. A razão é simples, dificilmente se encontra um filme que não tenha sido exibido no cinema do Bertinho. Pessoalmente alguém me diga: O que falta o Max ver? Nada. Vi tudo quanto se podia ver. O que de maior e melhor foi produzido por Hollywood foi visto pelos tabaréus itiubeiros. Rsrsrsrsrsrsrs. Não existe mais no mundo nenhum clássico que o Bertinho não tenha ousadamente levado para exibir naquele cinema, sem contar o belo e colado aos nossos cérebros prefixo, marca registrada antes de iniciar a projeção.

Sempre digo que no Paraíso, forçosamente, lá estará o Cine Itiúba do nosso tempo, pois faz parte das coisas sagradas e imortais deste mundo e das nossas reminiscências.

Obrigado porque os Irmãos Carvalho vivem!!!

 

 

 

                                                              

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com