A Serra Velha e o Banho de Xixi

Valmir Simões

 

 

A nossa Itiúba tem casos muito engraçados. O que passo a relatar me foi contado por um meu parente da época e ocorreu quando ele ainda era rapaz, ou seja, lá pelos anos de 1934. Ele já estava, mais ou menos, com 18 anos de idade. A brincadeira da Serra-Velha em Itiúba era acompanhada por vários senhores da sociedade local. Ser "amigado", naquela época, era muito comum. Muitos tinham filhos do casamento e outro tanto com a segunda mulher. No dia da Serra-velha o homem não ficava na casa da filial em hipótese alguma. Naquele dia fazia questão de ficar com a sua família, juntamente com os filhos do casal. No centro da cidade, no entanto, tinha uma senhora que sempre preparava uma surpresa para os serradores. Certa vez eles foram pegos de surpresa, pelas costas, com uma saraivada de balas de barro, atiradas de badoque por seus empregados que estavam escondidos. Foi um plano audacioso.


A casa desta senhora, amigada com uma pessoa antiga da sociedade local e que gozava de grande prestigio na cidade, tinha as janelas altas e, para que fosse colocado o gancho pelos serradores, era preciso usar uma escada ou o método mais fácil que era um subir nas costas do outro.

Assim foi feito, no entanto, antes que o gancho fosse colocado, a janela foi aberta bruscamente e a senhora despejou um pinico cheio de xixi na cabeça dos serradores. O banho de xixi atingiu tanto o serrador que estava em cima como o outro que estava servindo de escada.

O xixi estava reservado já há uns dois dias e os pobres dos serradores saíram correndo e vomitando com tanta fedentina.

Como resultado da inesperada reação, a senhora passou a ficar fora do roteiro da Serra-velha.

 

SOBRE A SERRA-VELHA LEIA TAMBÉM:
- A SERRA VELHA (pág.06) - Fernando P. de Carvalho
- A SEXTA-FEIRA SANTA E O CRUZEIRO (pág.138) - Valmir Simões
- A SERRA-VELHA II (pág.150) - Humberto Pinto de Carvalho

IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

Veja a próxima crônica

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com