A r

O Joãozinho e sua Alfaiataria

Fernando Pinto de Carvalho


A Alfaiataria do Joãozinho ficava ao lado do Bar Central do Carlos Pires, logo após a casa de Dona Pombinha, parente da Celidônia. Na frente tinha apenas duas portas de madeira e nenhuma janela. No fundo, um amplo quintal com um portão que dava para a Rua Cel. João Antônio. Na sala de trabalho, que ficava logo na entrada, tinha uma mesa de madeira com armários sob o tampo, onde o Joãozinho cortava as calças e paletós dos fregueses, e várias cadeiras e tamboretes. Era um ponto de encontro da turma, pois lá trabalhavam o Pedrinho Capitão e seus irmãos. O Joãozinho não bebia, mas, não se incomodava quando os seus ajudantes bebiam. O Valmir já contou aqui o caso dos Anjinhos Perdidos, onde ele narra a perda dos enfeites mortuários pelo Danduzinho depois de tomar “umas duas” lá.

 

Naquele tempo não se encontrava roupa pronta com facilidade e só existiam duas alfaiatarias na cidade, a dele e a do Quitu, e, por isso, a procura era muito grande. Meu pai, que usava terno diariamente, era seu freguês. O Delegado Tibério, que exigia sempre terno apropriado para autoridade, também.

 

O Joãozinho estava sempre com uma fita métrica e dois gizes de riscar pano nos bolsos e gostava muito de falar sobre as suas conquistas amorosas dos seus tempos de solteiro. Ele colava atrás da porta de entrada uma lista com os nomes dos fregueses devedores. Era a “Lista dos Caloteiros”, como ele chamava.

 

Que saudades daqueles bons papos, sentado num tamborete, olhando o movimento da rua e com o Bar Central ali bem pertinho, sempre com uma boa cervejinha gelada. O Joãozinho, o Pedrinho Capitão e seu irmão Lili participavam ativamente das conversas sem interromper, contudo, os respectivos trabalhos.

SOBRE PROFISSÕES E PROFISSIONAIS LEIA TAMBÉM (Clique nos links abaixo):

- O Pintor Ludugério
- O Engraxate Boca-Rica
- "Seu" Acelino, o Marceneiro
- A Obra do Mestre Sapateiro
- O Garimpeiro Itiubense
- O Amolador de Tesouras
- O Lambe-Lambe
- O Zé do Quebra-Queixo
- Os Vendedores de Ouro
- Os Sapateiros
- Os Fogueteiros
- Os Garis
- Os Ferreiros
- Os Médicos
- Os Velhos Motoristas

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR

IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE GERAL
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com