A A r

Revista "O Cruzeiro"

Fernando Pinto de Carvalho

Durante muitos anos da década de 60, a revista “O Cruzeiro” foi a principal, talvez a única, fonte de informações exteriores confiáveis da cidade. Semanalmente, cerca de 40 exemplares da revista chegavam pelo correio para o meu irmão Bertinho, Agente Distribuidor autorizado, e eram entregues às famílias assinantes, por meio de meninos remunerados para isso.

A revista “O Cruzeiro” era a mais lida e vendida do Brasil. Sua primeira edição saiu em 10/11/28 e a última em julho de 1975. Lembro-me que eu lia “O Amigo da Onça”, com suas piadas rápidas e sarcásticas, o engraçado Pif-Paf do Millor Fernandes, o sofisticado “Dr. Macarra” do Carlos Estevão, reportagens sobre discos-voadores e as que tratavam das vidas dos atores e estrelas de Hollywood. Tinha, também, os artigos de David Nasser e da Rachel de Queiroz. Tenho, ainda na lembrança, as grandes reportagens feitas pela revista, dos concursos de Miss Brasil (principalmente o da época de Marta Rocha), da morte da jovem Ayda Cury, dos Bailes de Fantasia dos carnavais do Rio de Janeiro, da visita do Presidente brasileiro a Portugal e das aparições de discos-voadores no Brasil.

A revista já desapareceu de circulação há muitos anos, mas, certamente, muito contribuiu para o melhoramento da cultura dos habitantes daquela pequenina cidade perdida no interior da Bahia. E devemos agradecer isso ao Bertinho que não media esforços e sacrifícios para levar cultura e diversão ao povo de sua cidade natal que tanto ama, como vimos, também, com o Cine-Itiúba, mantido por ele durante muitos anos.

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE GERAL
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com