A A r

O Inferno 17

Valmir Simões

 

Para os jovens da Itiúba de hoje o título acima causa espanto, mas, naquela época, Inferno 17 era o local onde a galera se reunia para degustar as galinhas assadas surrupiadas dos quintais alheios, após as noitadas de serestas em vários locais da cidade. O Inferno 17 ficava no quintal de uma enorme casa de cor azul, recuada, próximo ao Barracamento da Leste. Lá o amigo Genésio comandava o ambiente e nas altas horas era onde todos se encontravam sem fazer muito barulho para não incomodar os vizinhos. Se aquele velho e frondoso tamarindeiro falasse teria botado muita gente na cadeia como ladrão de galinha. Imagine como seria ridículo, rapazes da sociedade local sendo rebocados, perante os olhares alheios, para a cadeia da Praça Nova, sob a guarda do Zé de Souza ou do Dedé Soldado. Sempre valia a pena correr o risco. Coisas da juventude daquele tempo relatadas nos dias de hoje por atuais pais e avós. As nossas desculpas aos nossos filhos e netos, mas, valeu a pena tudo aquilo que fizemos. Divertimo-nos bastante, chegando ao ponto de brotar dentro de nós uma saudade enorme quando relembramos tudo isso.

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE GERAL
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com