A A r

Os Garis

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 

Como a cidade sempre foi pobre, a limpeza das ruas e coleta do lixo eram feitas por apenas um gari contratado pela Prefeitura. Eu me lembro que o mais conhecido e o que mais tempo permaneceu no cargo foi o "Tonho Véio". Era inconfundível com seu chapelão de palha quebrado de um lado e apetrechado de vários tipos de vassouras, inclusive,algumas até fabricadas por ele próprio com palhas de ouricuzeiros, sempre com sua inseparável carroça puxada por um velho burrico e que tinha dos dois lados a inscrição da Prefeitura "PM". Era com este veículo que ele fazia a coleta do lixo e também a remoção de animais mortos. Aliás, sobre isto corria uma história de que um dia ele foi remover um cachorro morto na Rua do Fato e com uma pá arremassou com tanta força o animal para cima da carroça que o bicho caiu do outro lado e ele nem viu. Quando já ia saindo com sua carroça percebeu o cachorro lá e pensando tratar-se de outro cachorro morto novamente arremessou para cima da carroça, só que, de novo o cachorro caiu do outro lado. Nova saida e outra vez percebendo a carniça no chão e pensando tratar-se de um terceiro cachorro morto, ele não se conteve e esbravejou:- Mas que diabo é isto? Todos os desgraçados dos cachorros desta cidade resolveram morrer justo hoje que eu estava de folga e no mesmo lugar só para me dar trabalho?

 

SOBRE PROFISSÕES E PROFISSIONAIS LEIA TAMBÉM (Clique nos links abaixo):

- O Pintor Ludugério
- O Engraxate Boca-Rica
- "Seu" Acelino, o Marceneiro
- A Obra do Mestre Sapateiro
- O Garimpeiro Itiubense
- O Joãosinho e sua Alfaiataria
- O Amolador de Tesouras
- O Lambe-Lambe
- O Zé do Quebra-Queixo
- Os Vendedores de Ouro
- Os Sapateiros
- Os Fogueteiros
- Os Ferreiros
- Os Médicos
- Os Velhos Motoristas

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com