A A r

O Bolachão do "Seu" João de Castro

Valmir Simões

 

 

 

 

A crônica As Padarias, escrita por Hugo P. Carvalho, fez-me rememorar a minha infância quando ajudava meu pai no seu armazém onde, sobre um dos cantos do balcão, tinha um expositor com vidros dos lados e uma portinhola que dava para a parte interna onde eram acondicionados pães e bolachões fornecidos pelo seu primo João de Castro e o pagamento era feito ás sextas-feiras. Os produtos eram de boa aceitação e o lucro era em torno de vinte por cento para nosso comércio. Os produtos: pão de sal em tamanhos pequeno e grande, pão sovado, pão de leite, pão doce, broas, biscoito palito, cavaco , bolachinha de coco, e o famoso bolachão em formato de uma pizza brotinho, adorado pela criançada e que molhado ao café tinha um sabor todo especial, porém, exalava um odor de amoníaco que se fosse hoje em dia provavelmente sua fabricação já estaria proibida ou sua fórmula refeita.

.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com