A A r

O Trio Elétrico Improvisado

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

Os velhos carnavais de rua da cidade eram animados pela mesma orquestra que tocava à noite nos bailes do Clube e isto era muito cansativo para para os músicos. Eu falo com experiência própria porque participei desta maratona. Por isto quando apareceu por lá o Iozinho, um exímio tocador de violão que trabalhava no Açude de Camandaroba, os dirigentes do Clube 2 de Julho tiveram a idéia de aproveitar a perícia do moço e improvisaram um trio elétrico genuinamente itiubense para substituir a orquestra durante o dia. Foi feita uma rude adaptação num velho caminhão do Valadares onde colocaram dois alto-falantes tipo "corneta" amarrados no "tirante" da carroceria  conseguiram  um pequeno amplificador de som de corrente contínua ligado na bateria do carro e embutiram dois pequenos microfones de cristal no violão do Iozinho e, assim, o nosso Dodô (ou Osmar?) acompanhado pelo Antônio do Correio na bateria e o Pedrinho no pandeiro percorriam as ruas animando os blocos e os foliões e dando uma folga aos esforçados músicos da orquestra.

É verdade que o tocador do violão era realmente bom, porém, a improvisação  e o som não ajudavam muito, mas, com todo mundo de "cara cheia"  de cachaça   e de porre de lança-perfume quem estava ligando para isto?

.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com