A A r

A Cachaça

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

Como o município não produzia cachaça e a procura era grande pelos amantes da "pinga", logo surgiram alguns depósitos que compravam a "branquinha" nas cidades de Cachoeira e Santo Amaro em grandes barricas de aduelas que chegavam transportadas de trem. Era, então, engarrafada com a vantagem de se colocar o nome que quisesse.

Os dois principais engarrafadores mais conhecidos e que mais prosperaram no negócio foram, o Abdon Junqueira, cujo depósito ficava na Rua do Chamego e que rotulou seu produto de "Fogosa" e "Pinga-fogo" e o Joel Coêlho com seu depósito na rua Cel. João Antônio, cujo produto foi rotulado como "Macacada" e  "4 x 1". Aliás, este último nome era uma homenagem à seleção de futebol itiubense que ganhara por este placar da seleção de Queimadas.

Convém lembrar, também, que antes dos depósitos de cachaça, existiu um depósito de vinhos do Sr. Manoel Raimundo,  que vendia o popular vinho de jurubeba importado da cidade de Miguel Calmon, e também um vinho feito por ele próprio com essência de maça e que era chamado de Licor de Maçã.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com