A A r

Os Ponguistas

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

Até os anos de 1960, mais ou menos, como era grande a movimentação de trens na cidade, os garotos desenvolveram uma perigosa brincadeira de "pongar" como eles diziam, que consistia em correr paralelo ao comboio e com uma mão agarrar-se ao corrimão de uma escada de aço existente em todos os vagões da época e, rapidamente, pular para o primeiro degrau. Sem dúvida, uma inusitada forma de "carona". Mesmo considerando que o trem trafegava em baixa velocidade pelo centro da cidade, onde era praticada, a brincadeira não deixava de ser perigosa, pois um simples escorregão faria o "artista" fatalmente cair debaixo do vagão. Porém, ainda mais perigosa era a "despongada" pois era feita quando o trem já estava com velocidade mais acelerada fora do centro. Felizmente não foi registrado nenhum acidente grave.

Foram poucos, ou pouquíssimos, os ases desta prática tão perigosa. Eu me lembro apenas de três: O Boca, o Zuca e o Dazo do Bairro do Alto do Vintém. Coincidentemente, os dois primeiros eram filhos de ferroviários que trabalhavam na estação.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com