A A r

A Faca de Molas

Valmir Simões

 

 

 

 

 

Eu residia em uma casa que ficava nas proximidades da Praça Nova, onde, na época, estava armado o Circo do Pedro Coruja. Junto a nossa residência foi alugado um imóvel para acolher o pessoal do circo pelo período de sua estadia em Itiúba.

Havia uma senhora por nome Maria Antônia que lavava e passava toda a nossa roupa fora de casa. Pegava a roupa na segunda-feira e retornava na sexta-feira com ela toda pronta. Dois garotos do circo não saíam da nossa casa e no dia em que a lavadeira foi pegar a roupa, um deles saiu correndo pelo quintal com uma faca na mão e desferiu uma facada nas costas do irmão que ficou com a camisa com uma enorme mancha vermelha nas costas. A Maria Antônia vendo toda aquela cena desmaiou e os garotos sorrindo gritavam: - É brincadeira ! É a faca de mola que minha mãe usa nos dramas do circo. Na verdade era uma faca que ao comprimir a lâmina esta entrava no cabo e desprendia uma anilina vermelha como sangue que depois desaparecia, sem causar nenhum dano. A velha lavadeira demorou a recobrar os sentidos.

 

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com