A A r

Os Velhos Medicamentos

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

No meu tempo de criança em Itiúba, quando existia apenas a Farmácia Combate de Dona Ziru e não havia nenhum médico residente na cidade, a auto-medicação era bastante praticada pela população.

Contra a dor de cabeça só existia o analgésico MELHORAL, que era tomado indiscriminadamente; criança com tosse tomava o xarope BROMIL - o amigo do peito; já adulto tomava o elixir PHIMATOSAN - com PH; os sofredores de prisão de ventre faziam uso das PíLULAS de VIDA DO ROSS - pequeninas mas resolvem; quem estivesse com anemia era obrigado a tomar o intragável EMULSÃO DE SCOTT (ÓLEO DE FÍGADO DE BACALHAU); criança raquítica ou com amarelão tomava o popular BIOTÔNICO FONTOURA; quem estivesse com verminoses tomava ANCILOSTOMINA - o remédio de Jeca Tatu; para feridas e cortes usava-se a POMADA MINÂNCORA e, finalmente, para limpar os intestinos da garotada que comia muita porcaria, era ministrado o famoso e temível PURGANTE DE ÓLEO DE RÍCINO, cujos efeitos deixavam qualquer um de quarentena no mínimo por dois dias correndo para o banheiro. É mole?

 

 

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com