A A r

O Barateiro

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 

Apelido quando pega não há quem tire,nem o tempo.

Nos anos de 1960 o jovem Raimundo, ou Dinho, como era chamado por familiares, resolveu se estabelecer no comércio e, contando com a orientação e ajuda dos tios e  demais parentes, inaugurou seu armazém, em pleno centro da cidade, na Avenida Getulio Vargas, com o ramo de "secos e molhados", como era chamada na época a negociação de gêneros alimentícios e bebidas alcoólicas no mesmo estabelecimento.

Inteligentemente criou seu próprio "markerting", dando o nome ao seu ponto de O BARATEIRO, cujo letreiro foi imediatamente estampado com letras bem grandes  na fachada do prédio. Quem passasse na Avenida não tinha como não notá-lo.

Não se sabe a razão, porém, o armazém do Dinho não prosperou e tempos depois foi fechado. Só que o nome ficou tão conhecido que já havia se transformado em um segundo apelido para seu dono, que passou a ser chamado, por toda a população, como Raimundo Barateiro. O prédio também, embora tenha trocado de muitos donos e servido para várias outras formas de comércio, continuou com o nome O Barateiro estampado por longos anos.

 

 

 

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com