A A r

O Dedé Soldado e o Cinema Mexicano

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 

 

Quando o nosso amigo Dedé esteve participando de treinamentos militares em Salvador, no final da década de 1950, coincidiu que a grande Companhia PELMEX, do México, estava rodando várias cenas de mais um de seus filmes,  com a famosa dançarina de rumbas NINON SEVILLA, no bairro de Itapuã, quando o diretor pediu a Corporação da Policia militar da Bahia alguns soldados, à paisana, para atuar como figurantes e foi justamente o batalhão em que o Dedé estava servindo que foi cedido.

A cena em que ele e seus colegas tomaram parte, consistia na apresentação deles, vestidos de operários, com pás, picaretas e enxadas, fingindo que estavam abrindo uma variante em um matagal para chegar a praia, quando surgia a gloriosa atriz atravessando o caminho e interrompendo o trabalho. A cena é rápida, porém, o Dedé se quisesse, podia até se orgulhar de ter participado de um filme internacional e ainda ter a oportunidade de ver, bem de pertinho, uma das mais bonitas e famosas estrelas do cinema mundial.

 

 

 

 

 

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com