A A r

Espantalho

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 

 
Boneco de pano e madeira que se põe no campo para afugentar aves predadoras das plantações, principalmente de milho, não teve sucesso em Itiúba. 
 
Os poucos espantalhos que foram utilizados nas roças do município não eram respeitados pelas aves da região e, talvez por esta razão, a prática não prosperou.

Uma das inúmeras explicações para o fenômeno era a de que, como havia rara imigração, as poucas aves locais logo se acostumavam com a simbólica e estranha criatura, fazendo dela até pousada antes e depois de comerem o milho das plantações, para desespero dos agricultores. 

E assim, um artifício muito usada em todo o mundo com bons resultados, em Itiúba não deu certo e o coitado do espantalho ficou sem "moral".

 

 

 

 

                          

                                      
 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com