A A r

A Bicicleta do Teia

Egnaldo Paixão

 

 

 

 

 

 

 

Dos filhos do Coronel Belarmino
Edmar era o que mais agradava desde menino.

Não absorveu o ranço do coronelismo
que o pai também não tinha isso.

Beberam muito
e quando Belarmino morreu
a Edmar o comércio e a bebida cedeu.

O rapaz era boêmio e amava a vida.
No carnaval vestia-se de mulher
muito feia simpática e querida.

O nome Edmar foi esquecido
porque ele chamava a todos de Têia
e nesse nome foi convertido.

Numa noite de carnaval
ouviu-se a voz do Têia brigando
e alguém disse: corre, está matando.

Correram e lá estava ele
com voz de bêbado atleta,
porque não se sustentava
espancando sua própria bicicleta.





 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com