A A r

Soneto de um estudante

Egnaldo Paixão

 

 

 

 

 

Cidadezinha, Itiúba agreste,

aqui não fico mais. Eu vou-me embora.

O trem apitou na Estação da Leste,

cidadezinha, estou indo agora...

 

Cidadezinha, aqui não fico mais.

No entanto, posso talvez, voltar ainda

para viver entre os teus pardais,

as tuas serras, estas paisagens lindas.

 

Mas, se voltar, como agora penso,

curtido de saudades por tua ausência,

é para dar-te a prova deste amor intenso

 

e desabafar a mágoa, o sofrimento,

esta revolta, todo o meu tormento,

por te ver parada, como estás, no tempo.

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com