A A r

Repelente de Curral

Valmir Simões

 

 

 

 

 

Antigamente, em nossa Itiúba, era comum encontrar pessoas recolhendo esterco seco de gado que, segundo informações, era um santo remédio para espantar muriçocas, pernilongos etc. Logo cedinho da noite, próximo a nossa primeira residência, na Rua do Tanque da Nação, muitos vizinhos colocavam brasa em um pedaço de flandre, e espalhavam o esterco sobre a brasa, provocando um cheiro terrível e um fumaçeiro danado, que percorria todos os cômodos da casa. Em nossa residência usávamos o conhecido “Boa Noite” que era um repelente em forma de serpentina e que ficava aceso por toda a noite, perto da cama, suspenso por um pedacinho de metal. As muriçocas não encostavam, contudo, respirar aquela fumaça a noite toda não deixava de ser um veneno para os pulmões. Coisas daquele tempo. Nos dias de hoje a coisa é bem diferente.

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com