A A r

Isqueiros movidos à gasolina

Valmir Simões

 

 

 

 

 

Os velhos fumantes de nossa época, se é que ainda existem, devem se lembrar daqueles antigos isqueiros movidos à gasolina. Eram compostos de uma rodinha com esmeril, pedra, pavio e um reservatório com algodão embebido em gasolina. Após ser acionado com um dos polegares em um suporte, desprendia uma faísca que tocada ao pavio provocava uma pequena labareda que acendia os mortíferos cigarros, charutos e cachimbos, cujas fumaças eram tragadas pelos viciados. Existiam isqueiros de vários tipos e de acordo com as posses de cada um. Lembro-me de um em formato quadrado com a tampa dourada, que após o uso ao fechar tinha um toque todo especial, um tilintar diferente e charmoso. Outros retiravam dos bolsos a tradicional caixinha de fósforo das marcas mais usadas: Moça, Guarany, Aviação, etc. Custavam muito pouco e eram as mais usadas. A coisa foi-se modernizando e vieram os fluídos perfumados para uso nos isqueiros no lugar da gasolina. Nos dias atuais os isqueiros, na sua maioria, são descartáveis. Em futuro breve vamos ver gente acendendo cigarros com isqueiros com raio laser. O fumante que viver, verá.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com