A A r

Visgo de Jaca

Valmir Simões

 

 

 

 

 

A criançada da cidade nem sabe o que é isso. O menino da roça sabe e muito bem, o que é e para que serve, no entanto nos dias de hoje não é como no nosso tempo, tinha passarinhos em abundância, hoje se foram os pássaros. Antigamente tinha menino que apanhava talo de jaca na feira para tirar o visgo que passava depois em um pequeno pedaço de pau preso em uma gaiola e, então, o pássaro da gaiola começava a cantar como “chama” fazendo com que o outro ficasse preso pelo visgo ou outras formas que eram utilizadas. Dava um trabalho danado passar querosene para tirar a cola dos pés do passarinho. Como naquele tempo não existia Ibama, armava-se, também, alçapão em árvores, sobre os muros, no mato e em pastagens. Geralmente as nossas casas tinham as varandas e alpendres, onde era comum vêem-se gaiolas dependuradas e onde podia se ouvir o cantar dos prisioneiros chamados de Pintasilgo, Colera, Papa-Capim, Azulão, Canário, Sofrer, Curió e uma infinidade. Nos dias de hoje não se a jaca com tanta facilidade, quanto mais o visgo.

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com