A A r

O Beco do Chamego

Antônio Ricardo da Silva Benevides

 

 

 

 

 

 

A Rua dos Artistas, conhecida como o Beco do Chamego, era o local em que vivia e trabalhava a grande maioria dos Artífices de Itiúba. Na oficina do Senhor Mota, consertavam-se equipamentos elétricos e quando o velho gerador marca Caterpillar que fornecia energia elétrica para toda cidade quebrava, era reparado por seu Mota. Nos idos de 60, foi fabricado nessa oficina o bambolê, um equipamento de diversão que se assemelhava a uma enorme roda gigante, sendo que seu movimento era feito de forma horizontal. O chamado bambolê do Mota, foi instalado na Praça da Matriz, no dia 08 de dezembro, data comemorativa da padroeira da cidade, Nossa Senhora da Conceição, com a finalidade de divertir a meninada e arrecadar fundos para a manutenção da igreja local.

Podemos citar também outros artistas como Joãozinho Marceneiro, que fabricava peças de madeira; Joel Coelho, fabricante de aguardente; Manoel Raimundo e seu irmão Zuza com sua vinícola produzindo o delicioso vinho de maçã; Bicudo, que fabricava fogos de artifício; seu Santos e seu Ezequiel com suas sapatarias; e Dona Carmoza com sua funilaria especializada na fabricação de lindos candeeiros.

A Rua dos Artistas era muito movimentada no período de festas juninas, pois Joel Coelho costumava promover forró em sua residência com direito a muita cana, canjica e amendoim.


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com