A A r

As Chuvas de São José

Valmir Simões

 

 

 

 

 

 

O sertanejo itiubense, crente nas suas orações, chega até o dia 19 de março (Dia de São José), apronta a surrada enxada, olha para o céu confiante, cava a cova do milho e planta, na esperança de que no mês de junho terá a colheita garantida. Tudo que o sertanejo aprendeu com seus antepassados ainda é feito da mesma forma até os dias de hoje. Orando e carregando a imagem de São José nas comunidades, na esperança das preces serem atendidas, pedindo que nunca falte o pão de cada dia. São pessoas que dependem do que retiram do solo para uma melhor condição de sobrevivência. Quando eu era criança ouvia essas histórias dos catingueiros de Itiúba. Quando chovia, neste dia, com certeza, o milho para o São João estava garantido. São José, o padroeiro das famílias, nunca desamparou seus filhos. Sei que até os dias de hoje a meteorologia não interfere na vontade desse Santo.


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com