A A r

Entre a Dama e o Gamão

Valmir Simões

 

 

 

 

 

Antigamente, na nossa cidade, eram muito difundidos os jogos de tabuleiros entre eles a Dama e o Gamão. O carteado também era muito Popular.

Como o movimento maior das casas comerciais somente acontecia aos sábados, durante a semana, sobre as sombras de árvores ou nas calçadas em frente a esses estabelecimentos, era normal fanáticos por jogo estarem presentes e aí também os “perus”. Certos locais eram mais apreciados para a prática desses jogos, como: Bar do Carlos Pires, Bar do Zé Dantas, Loja do Teia, Venda do Joãozinho do Sinhô, Armazém do Manu, etc.

Os tabuleiros de gamões eram mais sofisticados, chegavam a ter entalhes na madeira exibindo uma rosa dos ventos, com dados e bogues bem trabalhados. Pela batida frenética dos bogues era demonstrada a vibração do jogo. A Dama era um tipo de jogo mais popular, onde, às vezes, as pedras eram feitas de pedaços de cabo de vassouras serrados e pintados em cores diferentes para distinguir os adversários. Algumas vezes até tampas de refrigerantes serviam de pedras para o jogo.

Os locais mais prediletos eram as barbearias do Né, do Tonho Berro Grosso, etc. Já os carteados tinham lugares mais reservados, pois na maioria das vezes corriam apostas em dinheiro. Por causa dos carteados conheci amigos que de manhã estavam bem de bolso e mais tarde estavam matando cachorro a grito.

Assim se matava o tempo na nossa Itiúba.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com