A A r

Meu Primeiro Sola Fina

Valmir Simões

 

 

 

 

Naquele tempo era muito comum os pais encomendarem os calçados dos seus filhos aos sapateiros locais.

Uma tira de papel media o comprimento do pé e esta mesma tira também era usada para medir a altura do pé. Lá na “Tenda” (Nome dado às sapatarias artesanais da época) as medidas eram comparadas às formas de madeira e o calçado era confeccionado. O cliente tinha de ir lá um dia antes para saber se estava de acordo com o pé para que o sapateiro pudesse fazer os arremates finais.

Sapatos, alpercatas e botas, eram confeccionados no puro couro e borracha de pneu de caminhão, ou couro (sola) batido no pé de ferro para dar maior durabilidade.

Como eu já não suportava andar com aquele pesado calçado, o meu pai me levou à Loja Elegante do Josias e pediu um sapato Clark, escolhi o modelo de um que tinha próximo ao bico vários furinhos em forma de círculo. Naquele momento estava inaugurando o primeiro sola fina de minha vida. O rosto brilhava de alegria.

 

 


Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com