O Pente Cata-piolho

Valmir Simões

 

Naquele tempo a feira livre da cidade ocorria aos sábados. Uma infinidade de barracas eram armadas lado a lado e cobertas por lonas. Lá se vendia todo tipo de bugigangas e era o meio de sustento desses comerciantes. Lá era vendido um pente com formato completamente diferente, largo, com uma fileira de dentes finos de um lado e do outro com dentes mais grossos e espaçosos. Os piolhos não escapavam.

Não era novidade encontrar, em certos locais da nossa cidade, pessoas sentadas, na porta de suas casas, com uma toalha branca no colo e a criança, de cabeça baixa, sendo submetida a uma verdadeira tortura, com o pente cata-piolho.

Nos dias de hoje acredito que este procedimento já tenha sido abolido.

 

IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com