Adeus Estação da Leste

Valmir Simões

 

 

 

Vimos correr nos trilhos, a Maria-Fumaça, movida à lenha, às vezes, puxando classes com passageiros ou vagões de mercadoria, vimos as antigas máquinas movidas a óleo cru, e, por fim, as locomotivas à diesel, todas desempenhando o mesmo papel.
O progresso chegou a Itiúba, primeiro em lombo de burro, depois pela estrada de ferro e, por último, por rodovias, mas, para mim, a época mais promissora para nossa cidade foi durante o tempo em que a estrada de ferro funcionava plenamente.
Todas as cidades que conheço no estado da Bahia, onde existe ou existiu linha férrea, a estação, mesmo em ruínas, continua ostentando o nome da cidade na fachada, no entanto, para minha surpresa, revendo fotos da estação de Itiúba datadas de (05.10.2008), fiquei surpreso: retiraram o nome da nossa Itiúba da fachada da estação. É assim que aos poucos se destrói a memória da cidade. Adeus Estação da Leste, quando eu era criança olhava para você e via o nome da minha querida terra estampada na sua face, fico triste hoje, com meus 64 anos, vejo que você perdeu a identidade e, em razão do abandono como demonstra as fotos, tudo estará em ruínas. Pobre Itiúba.




Veja Itiúba no YouTube: http://br.youtube.com/watch?v=9PccnmWI3H4



IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com