Charuto Mata-rato

Valmir Simões

 

 

 

Naquele tempo os bares do Carlos e Zé Dantas eram freqüentados por políticos e pessoas de várias classes sociais. As cigarrilhas “Talvis” e os charutos de marcas famosas, com selos dourados e acondicionados em luxuosas caixas de madeira de cedro eram consumidos por uma elite local, em razão do seu alto custo, por este motivo, os menos favorecid, eram forçados a sustentar o vício, pagando bagatela por um punhado de charutos de má qualidade, feito com um tipo de fumo de segunda categoria e olhe lá, se não de terceira ou quarta. Quando aceso desprendia um odor desagradável, por este motivo era apelidado de “Charuto Mata Rato”. Era originário da cidade chamada de Cariacá e distribuído pelo Zuca Fumeiro aos comerciantes locais, vendidos sem nota fiscal, tudo por debaixo do pano, vinha acondicionados em pacotes dentro de boca-pios.









 




 



IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com