Passeio Frustrado

Antônio Ricardo da Silva Benevides

 

 

 

Nos anos 60 do século passado, o Velho Santana possuía uma frota de jumentos que fazia o transporte de enormes adobes, areia e barro para a construção de casas em nossa Itiúba. Quando os animais demonstravam inaptidão pelo cansaço ou pela velhice, os mesmos eram soltos e ficavam a perambular pela cidade. dentre tantos se destacou um deles, que nós, a meninada da Praça 3 de Outubro, hoje Praça do Vaqueiro, o apelidamos de Marta Rocha, pela sua beleza exuberante. Este animal não perambulava, pois, resolveu fixar residência nos fundos do Bazar Popular do Valdo Pitanga e se alimentava exclusivamente de velhos jornais e papéis que antes eram utilizados nas embalagens das mercadorias que chegavam nos vagões dos trens vindos de Salvador para serem vendidas.
Como muitas vezes não tínhamos dinheiro para alugar bicicleta na Locadora de seu João França para pequenos passeios, resolvemos utilizar o Marta Rocha como meio de transporte para nos conduzir até os Açudes do Coité e Jenipapo.
Um belo dia, resolvemos estender o nosso passeio até o Açude de Camandaroba, partimos de Itiúba pela manhã e ao chegamos na ladeira da Calçada de Pedra, Martinha não conseguiu subir, logo, gemeu e deitou-se, exatamente na curva da morte. Não tivemos outra opção, voltamos e deixamos Martinha em seu habitat comendo muito papel para uma futura viagem, em uma estrada sem ladeira.








 




 



IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com