Uma Viseira como Prêmio

Valmir Simões

 

 

 

Naquele tempo a propaganda de medicamentos ou era feita pelo Rádio ou por veículos que cruzavam o país de ponta a ponta, cidade por cidade, levando amostras dos medicamentos como brindes, viseiras , almanaques etc. Quando chegava o carro saía pelas ruas da cidade tocando musicas com as letras dos medicamentos anunciados, com isso a garotada seguia atrás gritando e pedindo brindes.

Certa vez parou na Farmácia da Ziru, um destes veículos, com duas bocas de alto-falantes e tocava: “ Melhoral melhoral é melhor e não faz mal”. Eu era ainda garotinho e saí com outros amigos pongando e, às vezes, correndo atrás do carro pelas ruas da cidade e, de vez em quando, eram jogados para o alto viseiras e comprimidos envelopados do tal Melhoral. Suado e sujo cheguei em casa apenas com uma viseira e uns envelopinhos do medicamento e como brinde da minha mãe dois cocorotes e um puxão de orelhas.


 


IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com