Itiúba 50 Anos Depois

Valmir Simões

 

 

 

Cinco horas da manhã do dia 8 de dezembro, vários fogos pipocavam na Praça da Matriz. Eu já estava ali presente para ver e fotografar a bandinha formada por jovens e crianças, sob a batuta do maestro Egui. Comecei a série de fotos e quando chegamos próximo a Estação ela fez mais uma pausa e eu fui de encontro ao amigo que há 50 anos não o via, pois desde que saí da boa terra, já não vinha tendo contato com o mesmo. Toquei no seu ombro e parabenizei pelo belíssimo trabalho que vinha realizando, ele me olhou e disse: - Eu estava observando o senhor fotografando, desde a saída da banda lá da Praça da Matriz. Eu disse: - Este senhor a quem se refere é o seu amigo Valmir. - Valmir Simões? - Sim, ele mesmo. Abraçamo-nos e, com olhos lacrimejantes, me apresentou ao público presente, mostrando o seu contentamento pela presença do amigo ali naquele momento, que há 50 anos não via, causando certo espanto aos presentes, em razão de tanto tempo. Marcando este momento participou aos presentes o oferecimento de um bonito dobrado em minha homenagem. Este foi um dos melhores momentos na minha cidade, por rever um amigo depois de 50 anos.


 


IR PARA O ÍNDICE DAS CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com