Uma Saudade em cada Esquina

Valmir Simões

 

 

Itiúba, minha terra natal. Vivi intensamente nessa cidade até os 20 anos. Saí de lá, deixando para trás família, amigos e a minha Seriema de estimação, que cantava sem parar, com saudade de mim. Soube disso através de cartas de meus familiares. A vida é assim, às vezes temos que tomar certas decisões que não imaginamos quais serão os resultados, negativos ou positivos. Acredito que acertei, fiz muito bem. A cidade, os amigos, eu não esqueço de forma alguma. Em Dezembro de 2009, resolvi retornar ao velho torrão, desta vez a passeio, sempre fui uma pessoa bastante relacionada e conhecida na cidade, isto é, naquele tempo, sim, no século passado. Sou um saudosista, um cara do coração mole e nesta minha viagem, em cada esquina da velha Itiúba, lembrava-me dos amigos, das brincadeiras, os dias de farra, dos namoros, da Rádio Cultural, do Cinema, dos aconchegos na escuridão, do cheiro de pão, da feira livre do sábado, dos bares e reservados, da sinuca e do bilhar, das serenatas, das galinhas, do trem na estação, do bate papo da balaustrada, das quermesses, rezas, carnaval e tudo de bom dessa boa terra. Mas a saudade maior é com a falta dos amigos. Afinal nos dias atuais, de tanto tempo ausente, o filho da cidade torna-se um desconhecido.


 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com