Os Petiscos da Escola

Antônio Ricardo da Silva Benevides

 

 

Naquele tempo em Itiúba, as escolas públicas ainda não recebiam merenda escolar para ser distribuída entre nós alunos, mesmo assim, para nossa alegria e satisfação, nas Escola Góes Calmon, Escola Nuclear Belarmino Pinto e Ginásio Municipal de Itiúba, às 10 horas e às 15 horas, nos intervalos para descanso, conhecido como recreio, jamais nos faltaram opções para lancharmos.
Na Escola Góes Calmon saboreávamos os famosos cavacos cuidadosamente preparados por Dona Nira e as deliciosas goiabas colhidas por ela no seu pomar situado ao lado do prédio escolar. Também eram comercializados, nas escadarias da escola, o mungunzá, o doce de leite, o bolo, a cocada, o mingau e as puxas fabricadas por Dona Osmira e Dona Pombinha, além dos tamarindos vendidos por Dona Lídia, (mãe do Macarinho), em sua residência, próxima a escola.
Na Escola Nuclear Belarmino Pinto contávamos com uma variedade bem maior, pois, lá estava o Antônio Caxixó com seu mini trio elétrico de madeira, estacionado em frente ao grupo escolar e com seu inseparável rádio de pilha sintonizado na Rádio Sociedade da Bahia, ouvindo o programa Show da Tarde, comandado por Armando Mariani, com intervenção de notícias da unidade móvel, divulgadas por Carlos Mota. Na lanchonete ambulante do Caxixó, desfrutávamos dos mais variados petiscos, dentre tantos, podemos citar os seguintes: bolacha de goma, pirulito, pipoca, amendoim, algodão doce, pastel, manuê, geladinho, rosário de ouricuri e o disputado chiclete ploc. 
No Ginásio Municipal de Itiúba degustávamos os magníficos roletes de cana, vendidos por Dona Martinha e os saborosos sonhos feitos por Dona Dair. 
Guardamos, no coração, boas lembranças de um tempo que não volta mais.

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com