Marcas do que Ficou

Antônio Ricardo da Silva Benevides

 

 

Existem fatos que ocorreram em nossa vida que jamais sairão da nossa memória. Quando criança, quase que diariamente, no final das tardes ensolaradas, do meu pedaço de chão, sentava-me no lajedo próximo ao portão da minha casa, que da acesso ao famoso bairro do Calumbi, para ouvir e encantar-me ao som do trompete tocado pelo músico VERDINHO, a música Cerejeira Rosa, uma bela canção de autoria de Zezé Gonzaga e interpretada por Orlandinho de Paulo.
Outro momento lindo era assistir todos os domingos, a partir das l4 horas, o regional dos boêmios da época no bar do Luiz Garrafinha, situado no Beco da Faca. Era ali que o  Nilson Bacalhau abria o estojo do seu velho saxofone e, com muita categoria, tocava a música SAXOFONE, POR QUE CHORAS?  Um dos mais lindos chorinhos, gravado em 1930 por Ratinho e Jararaca.
Essas boas lembranças nos transportam, para um mundo de paz, alegria e tranqüilidade.

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com