Vaqueiro Motorizado

Hugo Pinto de Carvlho

 

 

 

 

Quando visitei Itiúba no ano passado , uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a substituição do cavalo pela moto. Ninguém mais utiliza-se da velha montaria, nem mesmo os vaqueiros. Fiquei impressionado com a transformação quando vi nas estradas rebanhos de gado sendo conduzidos por um ou mais motoqueiros e não mais pelo tradicional vaqueiro de gibão e chapéu de coro e a cavalo. E não é só isso, presenciei, também, que crianças, jovens, adultos homens e mulheres e até idosos da zona rural, agora só se locomovem para a cidade em motos. E até aquela tradicional entrega do leito in-natura que era feita de porta em porta no lombo de jegues, agora, também, é de moto.

Tá certo que o velho vaqueiro “Berega”, naqueles tempos, não se utilizava da montaria de cavalos, preferindo tanger o gado do Valadares a pé mesmo. Mas, daí evoluir para o “vaqueiro motorizado” confesso que me pegou de surpresa.

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com