O Padre José

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

Sempre vestido em sua impecável batina escura nos atos religiosos, e a branca nas festividades da igreja, o padre José Dias Lima, com sua dedicação próxima a de um apóstolo, e um comportamento quase de monge, conquistou os fiéis da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, nas décadas de 1950 e 1960, e só saiu da cidade por força de sua promoção para Cônego.

Natural da cidade de Paripiranga neste estado e, recém-ordenado, preferiu escolher Itiúba como sua primeira paróquia, onde teve o desafio de substituir o experiente e dinâmico padre Landoaldo Varjão, que se mudara para Salvador, e não decepcionou a sociedade católica da cidade. Pelo contrário. Foi em sua gestão que o número de católicos mais cresceu no município e, até então, o único padre que passou a celebrar missas nas capelas dos povoados. A sua fé era tão contagiante que, quase todo garoto da cidade queria ser “coroinha”, e alguns até foram estudar no Seminário da vizinha cidade de Senhor do Bonfim, pensando em ser padre também.

Foi também durante sua estadia na cidade que a igreja ganhou um órgão musical, de pedal, para acompanhar o coro nas missas solenes, e que foram construídas as capelinhas da Serra do Cruzeiro. Como se vê, o sacerdote marcou muito bem sua presença em Itiúba e, por isso,  ainda hoje é muito reverenciado.

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com