O Sisal

Antônio Ricardo da Silva Benevides

 

 

 

 

A cidade de Valente é reconhecida pelo Governo Federal como a capital do sisal. Desta feita, quero prestar uma homenagem póstuma ao saudoso “Dédeu  Vilas Bôas”, foi ele quem plantou o primeiro pé de sisal em Itiúba, nos idos de 1950.
Sabemos que a produção de sisal atualmente em Itiúba é pequena em relação há 30 anos.
 No passado, o plantio era maior e a fibra era vendida nos depósitos de Josias Carvalho, Virgilio Rodrigues de Sousa e Clóvis Pitanga e depois beneficiada e exportada. 
 Não consigo esquecer do barulho do motor da velha batedeira do Clóvis Pitanga que funcionava diariamente das 10 às 17 horas, na esquina da Praça do Vaqueiro.
O Orobó, Mário Quimilas, Verdinho, Pocota e Nã, trabalhavam no beneficiamento da fibra, enquanto que a Tonha do Buraco e D. Maria do Lila, faziam a seleção das fibras e o Curador era o prensador.
 Todo aquele trabalho era gerenciado por Lila, que era considerado por Clóvis Pitanga, como um grande administrador.
Espero que um dia a minha querida Itiúba, volte a produzir o sisal como no passado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com