A Calça Meia Coronha

Valmir Simões

 

 

O tempo se encarrega de modificar os costumes e o jeito de ser e se vestir das pessoas. A exímia costureira itiubense, minha saudosa Tia Iazinha, era cuidadosa nas medidas de roupas dos seus fregueses, nem sobrava e nem faltava, quando se tratava do comprimento das calças masculinas, se ficava arrastando, ou seja cobrindo o salto do sapato, dizia-se que a calça estava “bebendo”, se ficava acima do tornozelo, era uma calça “meia coronha”, que era criticada pelas pessoas como se pertencesse a outro, ou até dizer que o defunto era maior ou menor.

 

 

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com