Espreme Gato

Valmir Simões

 

 

As brincadeiras no horário de recreio da nossa Escola Góes Calmon, marcou muito a minha infância. Nenhum aluno residia tão junto da escola como eu, de um lado a minha residência, do outro a casa de Dr. Arlindo. De tanto correr jogando bola no gramado dos fundos, a camisa ficava ensopada de suor e, pela grade, minha mãe costumava substituir por outra e ali mesmo eu trocava. Os professores tinham um carinho todo especial por mim, afinal de contas: água, biscoitinhos de goma, cavacos, frutas, sempre eram oferecidas por minha mãe, sem receber nada em troca. Mas certo dia, juntaram vários colegas no horário de recreio e fizemos uma brincadeira de “Espreme Gato” junto a porta da sala de D. Hilda Mendonça e, de tanto forçar um empurrando o outro, rebentamos a almofada da porta e isso gerou um descontentamento da severa professora, ficando 3 dias de suspensão, mas a pena foi abrandada, por interferência de D. Ligia Lemos, mãe dos primos Ivan, Mauricio, Nuno e Cesar Mutti, minha professora querida, onde em sua casa eu tinha banca escolar. Não esqueço esses bons tempos.

 

 

 

 

 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com