Garrafada Milagrosa

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

Com uma fórmula oriunda ainda das remotas tribos indígenas, esta beberagem ganhou muitos adeptos em Itiúba, principalmente na zona rural, e era abertamente vendida nas feiras livres em suas coloridas garrafas de vidro. Alardeadas suas supostas e milagrosas curas dos mais diversos males, por seus vendedores, muita gente, por ignorância ou mesmo por inocência, acabava comprando e tomando a tal garrafada que não passava de uma mera infusão de raspas de várias cascas de madeira misturadas com algumas sementes e quase todo tipo de ervas. Se alguém melhorava, curava-se ou morria, ninguém ficava sabendo, e os curandeiros continuavam vendendo e faturando.


 

 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com