O Ouricurizeiro do Sertão

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

Esta rude palmeira foi abundante no município de Itiúba até a década de 1950, e também muito útil à população, porque dela se aproveitava quase tudo. De seu tronco era extraído o bagaço do qual se fazia a “Farinha de Bró” que substituía a Farinha de Mandioca nas grandes secas. De seus coquilhos eram feitos óleo e leite culinários muito usados na região, e de suas palhas, além de servirem para cobertura de palhoças e confecções artesanais de abanos, esteiras e chapéus, também era extraído o “Pó de Palha” exportado para as indústrias de celulose.

Não foi sem propósito, portanto, que esta planta na época do seu cultivo foi comparada ao criatório do boi na região, quando se dizia que deste animal só não se aproveitava o berro, e do ouricurizeiro só não se aproveitava a raiz.


 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com