BOLA DE BEXIGA

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 

O amigo Valmir falou em seu conto 334, que jogou futebol em Itiúba ainda com a pequena bola de meia, recheada de molambos, mas existia também na mesma época a bola de bexiga de boi que, cheia de ar, era enrolada com barbantes, e com a vantagem de ser do mesmo tamanho da bola de couro. O problema era que, em tempos de chuvas, a “pelota” encharcava e ficava pesada demais, e o pior, começava a feder, tirando a concentração de qualquer craque do futebol, principalmente dos pobres goleiros que ainda tinham que pegá-la com as mãos. Porém, como ninguém podia comprar a cara e difícil bola de couro, a turma da pelada tinha mesmo que se virar com as duas improvisadas bolas. Uma por ser muito pequena, oferecia riscos dos briosos jogadores quebrarem os dedos dos pés, pois também não se usava chuteiras, era mesmo na paleta! A outra fedia p’ra caramba! Como se vê, não era nada fácil a vida de qualquer Pelé mirim itiubense naquela época.

 

 

 


 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com