OS JEGUES DO SANTANA

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 

 

Como até a década de 1950 ainda não existia na cidade nenhum depósito de material de construção e, muito menos, carros de transportes, o velho SANTANA, um dos primeiros moradores do Alto do Calumbi, teve a grande ideia em formar uma frota com alguns jumentos equipados com caixotes de madeira amarrados às cangalhas dos animais, e com a ajuda de seus dois filhos, Odilon e Champião, fazia o transporte de tijolos e telhas das olarias, barro vermelho dos terrenos do Alto Bonito, areia do rio Itapicuru mirim, pedra e brita do alto do vintém, cal e cimento do armazém do Sr. Belarmino Pinto, e ainda água do tanque da nação em barris de aduelas.

E foi assim, que o velho SANTANA tornou-se o pioneiro no transporte de cargas na época, e muito colaborou, sem dúvida, para o progresso da cidade.

Uma pessoa simples, sem nenhum estudo, mas com uma ideia de gênio, que criou o seu próprio estilo de trabalho, do qual tirava a sua remuneração para manter-se com dignidade e orgulho e amparar sua família. Um exemplo para muita gente.

Hoje, merecidamente, a rua onde sempre viveu tem o seu nome, em uma bonita e justa homenagem da Câmara Municipal de Itiúba.

 

 

 

 

 

 

 


 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com